Sexta-feira, 18 de Julho de 2008

Um único homem

“Julie cresceu no seio de uma grande família, com sólidos princípios religiosos. A sua mãe incutira nela e nas irmãs a ideia de que o único homem com quem estivera toda a sua vida era o marido e que tal atitude revelava uma moral exemplar. Ambicionando poder dizer o mesmo às suas futuras filhas, Julie soube, ao ter sexo pela primeira vez com Robert, que teria de casar com ele, pois só assim garantiria a integridade moral que faria dela um modelo de conduta.

Nos anos seguintes, e a exemplo do que a sua própria mãe lhe dissera, Julie pôde, de facto, dizer às filhas que o único homem com quem havia estado era o pai delas. No entanto, não lhes conseguiu explicar porque razão o papá era tão mau, porque motivo ficava tantas noites fora de casa até tão tarde, ou porque é que ela própria chorava tanto.”
 
  A verdade sobre os grandes casamentosDr.ª Robin L. Smith
Clauclau às 09:38

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net