Quinta-feira, 3 de Maio de 2007

Amo-te muito

Hoje a minha mãe comemorou mais uma primavera. Apesar de todos os atritos que temos no dia a dia, a verdade é que a amo mais do que tudo nesta vida.

Durante toda a minha vida, tenho-me apoiado em três pilares que para mim são fundamentais: a minha mãe, o meu pai e o meu manito . Sei que estão sempre lá para me apoiar e que posso contar sempre com eles. E eles sabem que podem contar sempre comigo.

E não, não vivemos num conto de fadas; temos discussões e divergências de opiniões como toda a gente, mas a verdade é que damos uma grande importância à família.

A minha mãe é uma grande mulher. Toda a vida trabalhou imenso na agricultura para que tivéssemos sempre um pouco de tudo em casa sem ter de ir comprar as coisas ao mercado. A verdade é que muitas vezes lhe digo para que deixe de semear certas coisas porque o preço delas não compensa todo o trabalho que tem. O pior é que não me consigo fazer compreender. Ela entende, como se eu a estivesse a recriminar por andar a estragar dinheiro nas terras quando o que eu pretendia era apenas que ela preservasse mais a sua saúde e o seu corpo e que trabalhasse menos. Mas não a consigo convencer. Admiro-a imenso. Acho que ela pensa que eu não lhe dou valor por não ter estudos, por nunca ter tido um trabalho remunerado. Mas muito pelo contrário, admiro-a ainda mais por tudo o que faz; trabalhou mais na vida que todas as outras mulheres que têm um trabalho fixo, pois trabalha no campo de sol a sol, todos os dias, sem feriados, sem dias de descanço, sem limites de horário, sem férias; admiro-a por tudo o que sabe sobre culturas (assunto de que não percebo mesmo nada, com muita pena minha). Apesar de todo o trabalho que tem, e de não ver lucros monetários do seu trabalho, todo esse esforço é compensado por ver crescer, dia após dia, as culturas que semeou, por colher as frutas e os legumes de que cuidou ao longo de várias semanas, por ver nascer os animais e os alimentar durante meses e anos.

Adoro-te mãe. Mais do que alguma vez te disse. Mais do que tu possas imaginar. Quando ficas triste, também fico triste, quando choras também choro, quando sofres também sofro, quando estás doente também fico doente.

Os nossos maiores atritos são sempre por me cobrar o genro que não lhe dei e os netos que não tem. Mas o futuro só a Deus pertence. Quem sabe um dia não terá um genro muito melhor que o AFL . Sei o quanto ela gostava dele e o quanto gostava que lhe tivéssemos dado os netos que tanto deseja. Mas a vida nem sempre segue as linhas que traçamos.

Mãe espero que possamos ficar os quatro juntos ainda por muitos e muitos anos.

Amo-te muito.

 

 

 

“se pelo menos ela soubesse como a amo! Com todas as suas fragilidades, defeitos e medos. Se ao menos soubesse como a admiro – a sua força, poder, esforço, empenho, determinação, motivação. Como sabe ultrapassar os seus próprios limites, superar-se, ir além do possível, e como sabe fazer bem aos outros, como se dá aos outros com generosidade, como sabe ser magnânima e soberana, terna e doce, quando quer....”
  
Contigo esta noite – Joana Miranda
Clauclau às 23:08

| Comentar | Adicionar aos favoritos
3 comentários:
De noche a 4 de Maio de 2007 às 00:27
:)

fizeste-me lembrar muita gente que eu conheci e que pensa teimosamente: "parar é morrer"

parabens pelo post... mas é a ela que tens que fazer passar a mensagem!!
De ambp a 4 de Maio de 2007 às 11:31
Parabéns a tua mãe. Pela maneira que escreves dá para perceber que ela é daquelas pessoas (que admiro muito) capazes de mudar o mundo. Sem grandes feitos vão nos dando lições no dia a dia que nos tornam pessoas diferentes.
Quanto à sua agricultura... Deixa-a fazer. Em primeiro tenho a certeza que se lhe tirassem esse trabalho, tiravam-lhe anos de vida, depois porque os produtos de casa são sempre melhores do que os do supermercado e por último porque com a crise que vai ainda havemos de voltar a trabalhar nos campos para vivermos.
É apenas a minha humilde opinião.
De in love again a 4 de Maio de 2007 às 15:12
Gostei de ver o amor que tens pela tua mãe... Eu também amo muito a minha, posso dizer que é a minha melhor amiga...
Acho que lhe devias fazer chegar estas palavras que aqui escreveste, pois ela ia adorar ler isso.

Comentar post

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net