Quarta-feira, 31 de Outubro de 2007

Forçar o encontro

"Na verdade, ela mesma armara a teia, forçando o encontro na floresta; colocara-se estrategicamente num local onde ele passaria quando voltasse, de modo que tivesse alguém com quem conversar, talvez mais uma promessa a ouvir, alguns dias de sonho com um possível novo amor e uma viagem sem volta para além do vale onde nascera. O seu coração já fora ferido várias vezes, e ainda assim acreditava que encontraria o homem da sua vida. No começo deixara escapar muitas oportunidades, achando que a pessoa certa ainda não tinha chegado, mas agora sentia que o tempo corria mais depressa do que pensava, e estava pronta a deixar Viscos com o primeiro homem que se dispusesse a levá-la, mesmo que não sentisse nada por ele. Com toda a certeza aprenderia a amá-lo – também o amor era uma questão de tempo."

O demónio e a senhorita Prym – Paulo Coelho

 

 

 

 

 

Clauclau às 08:51

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 30 de Outubro de 2007

Jogo inteiro

“- Percebeste a porra da ideia?

- O quê?

- O jogo inteiro. Sabes como é, um tipo cresce, arranja uma merda de um emprego, trabalha por um salário de fome, enfiado como um escravo num caixote de betão, cabeça e olhos no chão, sem dar pela passagem dos dias e das semanas e dos meses, faz uma porcaria qualquer de trabalho estúpido e insignificante durante horas a fio, acaba, sai, mete-se no trânsito, vai para casa, um tugúrio miserável e húmido de paredes finas como papel, paga a hipoteca, paga a pensão, gasta todos os míseros tostões para pagar isto e mais aquilo, cai na cama estoirado e adormece, e depois o quê? (...) depois acorda e volta exactamente ao princípio.”

Dizei uma palavra e eu serei salvo – Niall Williams

 

Clauclau às 13:34

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 29 de Outubro de 2007

Amor... uma realidade mais difícil do que parece nos livros

“ Jim entra no quarto. Kate está sentada a chorar.
Vai sentar-se ao pé dela na cama. Afaga-lhe os cabelos e chama-a pelo nome. À luz prateada do quarto o seu espírito volteia como uma falena, em busca de soluções, e pensa, o «desgosto vem do facto de não vivermos a nossa vida. Não somos as pessoas que sonhámos vir a ser ou não estamos onde imaginámos estar quando passeámos pelas ruas nocturnas de Dublin.» Só nessa altura se apercebe de que o amor é uma realidade muito mais difícil do que parece nos livros. Não ganha o suficiente para comprar nenhuma espécie de liberdade. Não ganha o suficiente para libertar Kate das tarefas da rega e da monda no horto, para cumprir promessas silenciosas que lhe fazia quando a tinha nos braços e lhe prometia corrigir tudo que aos olhos dela estava errado.”
 

Dizei uma palavra e eu serei salvo – Niall Williams

 

 

Clauclau às 13:27

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 28 de Outubro de 2007

Gostaste de mim

“Mas tu chegaste e gostaste de mim, nem eu sei bem por que razão. Trouxeste-me uma luz nova, radiosa, ofuscante, encheste-me de vontade de viver, injectaste-me de vida, paixão, euforia, fizeste-me sentir coisas que já não me recordava.”
 
O espelho da Lua – Joana Miranda

 

 

Clauclau às 08:33

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 27 de Outubro de 2007

Paixão

“Apaixonei-me por mulheres com quem não cheguei a trocar uma única palavra! Às vezes dançava com elas em clubes recreativos e pronto, estava apaixonado, louco de desejo, a ferver. Recordo-me dos nomes de algumas, de outras não, de certas não cheguei sequer a saber o nome. Apanhei doenças venéreas (felizmente curáveis), lembro de um dia em que fiquei com uma comichão que não imagina, mas era mesmo assim. Preservativos não usávamos... aprendíamos uns com os outros como solucionar os nossos problemas relativos aos órgãos genitais. Havia mezinhas que se sussurravam pelos corredores das residências universitárias. Quando os problemas persistiam, íamos ao médico e ele resolvia a questão. Era uma loucura total, percebe? Agora é diferente! É tudo diferente! É tudo fácil! Arranja-se uma namorada e vai-se com ela para a cama no dia seguinte ou no próprio. Antes as meninas de boas famílias só se revelavam depois do altar. Tínhamos de recorrer às prostitutas ou a meninas mais desbragadas, que tinham tantas doenças como as primeiras, porque também saciavam os desejos de vários seres carentes.”
 

O espelho da Lua – Joana Miranda

 

 

 

 

Clauclau às 08:25

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 26 de Outubro de 2007

Que frio...

“Rita levantou-se da cama a custo e amaldiçoou intimamente o frio, que a fazia sentir-se muitas vezes triste e deprimida. Ao contrário da maioria das pessoas que conhecia, preferia a chuva ao frio porque, por mais que se agasalhasse, nunca conseguia sentir-se completamente confortável.”
Promessa de uma vida a dois – Sandra Pinto

 

 

Clauclau às 08:18

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 25 de Outubro de 2007

Moi

“Em mim, há sempre qualquer coisa que não bate certo. Sou eu que não sei agir de outra maneira. Mal resolvo um problema, arranjo outro.”
 
Coração à deriva – Ildikó Von Kürthy
 
 

 

 

Clauclau às 08:14

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 24 de Outubro de 2007

Eu

“Às vezes, até peço desculpas, mesmo quando não tenho a certeza de ter errado. Às vezes declaro guerra à minha cabeleira, às minhas unhas frágeis e à gordura supérflua que anda espalhada pelo meu corpo. Ouço sempre, pelo menos, dez opiniões, antes de tomar uma decisão, e todos os dias tenho a certeza absoluta de que poderia ser o dia certo para pesar menos trezentas gramas do que na semana anterior.”
Coração à deriva – Ildikó Von Kürthy

 

 

 

 

 

 

Clauclau às 08:08

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 23 de Outubro de 2007

Passado

“Estamos sempre a reagir por coisas que aconteceram connosco há muitos anos. Isto impossibilita a relação com o outro.”
 
“Enquanto não me ocupar desta criança ferida, ela continuará a reagir e a piorar as minhas relações intimas.” 
Amar de olhos abertos – Jorge Bucay e Silvia Salinas

 

Clauclau às 10:47

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 20 de Outubro de 2007

Não restou nada

“Se me separar de ti agora, dado o ponto extremo a que chegámos, não terei saudades nenhumas.”

Está uma noite quente de verão – Isabel Ramos

Clauclau às 03:04

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net