Segunda-feira, 31 de Dezembro de 2007

Só o amor

Nós pensamos:

«Bem, realmente parece que a liberdade do homem consiste em escolher a própria escravidão. Trabalho oito horas por dia e, se for promovido, passarei a trabalhar doze horas. Casei e agora não tenho mais tempo para mim mesmo. Procurei Deus e sou obrigado a ir a cultos, missas, cerimónias religiosas. Tudo o que é importante nesta vida – amor, trabalho, fé – acaba por se transformar num fardo pesado demais.»

Diz o mestre:

Só o amor nos faz escapar. Só o amor pelo que fazemos transforma a escravidão em liberdade.

Se não podemos amar, é melhor parar agora. Jesus disse: «Se o teu olho esquerdo te escandaliza, fura-o. É melhor estar cego de um olho do que fazer com que todo o teu corpo pereça nas trevas.»

A frase é dura. Mas é isso mesmo.

Maktub - Paulo Coelho

 

 

Clauclau às 00:53

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 30 de Dezembro de 2007

Não desistir

“Não posso desistir. Afinal a caminhada tem sido longa e sei que terá um fim, apesar de distante, e de às vezes duvidar de que alguma vez o venha a vislumbrar.”
 
Contigo esta noite – Joana Miranda

Sábado, 29 de Dezembro de 2007

Pensamentos

“Não posso dizer o que estás a pensar porque eu não sei o que estou a pensar e isso assusta-me. Eu amo-te, mas estou demasiado assustada para apostar tudo quando não consigo ter a certeza.”
Namorada dos meus sonhos – Mike Gayle
Clauclau às 00:46

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 28 de Dezembro de 2007

Obrigada R...

 

 

 

Apesar de naquele tempo ter ficado chateada contigo quando vi, quando não devia ver, aquela aliança no teu dedo, hoje guardo boas recordações do tempo que passámos juntos antes disso... foi pena foi ser tão pouco tempo.

Fico contente que lá no fundo tenhas reconhecido que eu não merecia que as coisas se tivessem passado assim.

Espero que sejas feliz... 

Clauclau às 12:18

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Perdoar a traição

“Apesar de todas as pequenas infidelidades de Gustavo de que Sónia Prazeres me tornou consciente, infidelidades pontuais que, com o tempo, fui descobrindo, acredito firmemente, e de forma por mais inocente, que envelheceremos lado a lado.” (...) “As infidelidades de Gustavo, essas, não eram nem sonho nem pesadelo. Eram a realidade. Meu Deus, como eu o amava! Perdoava-o porque o amava e também, ou principalmente, porque não conseguia imaginar-me sem ele. Da minha identidade, Gustavo fazia parte integrante.”  
 
Contigo esta noite – Joana Miranda
Clauclau às 00:42

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 27 de Dezembro de 2007

No meu tempo

"Sou do tempo em que não se perdiam as coisas porque as coisas custavam dinheiro. Em que se estudava e se aprendia mal ou bem, porque a educação custava dinheiro, e ninguém nos ia oferecer uma vida de graça. Sou do tempo em que não se mandavam os professores aquela parte, em que não se era premiado por notas positivas (o mais que consegui foi um relógio de pulso depois do exame da 4.ª classe), em que se aprendia a tabuada, se faziam cópias e se liam livros à noite. Por isso, acho que estou velha."

 

Palavra de mulher – Maria João Lopo de Carvalho

Clauclau às 00:35

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Dezembro de 2007

Feliz Natal

Desejo um Feliz Natal a todos os visitantes deste blog.

 

Clauclau às 00:00

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sábado, 22 de Dezembro de 2007

Ser feliz

“Teoria de que, no decurso da nossa vida, nos encontramos com duas ou três pessoas com quem poderíamos ser felizes.”
 
Contigo esta noite – Joana Miranda
Sexta-feira, 21 de Dezembro de 2007

Monogamia

“A monogamia é um sistema instituído pela sociedade, uma norma, uma convenção social, que é totalmente contranatura. Não podia imaginar-me a viver com um só homem, a fazer sexo com ele durante toda a minha vida e a não poder fazer sexo com mais nenhum outro homem até ao fim dos meus dias.”
 
Contigo esta noite – Joana Miranda

Quinta-feira, 20 de Dezembro de 2007

Manter as aparências

“Seria Júlia fiel a Gustavo? Seria Gustavo Fiel a Júlia? Não era. Sabia que não era. Júlia também sabia, mas fingia não ver. Para manter as aparências, a estabilidade familiar, a paz podre. E, por isso, eu odiava-o em silêncio. Como se fosse a mim própria que não era fiel. Júlia merecia melhor. Era boa pessoa. Boa irmã, boa filha, boa mãe e calhara-lhe na rifa uma família de morcegos tenebrosos.”
 
Contigo esta noite – Joana Miranda
Clauclau às 15:32

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net