Sexta-feira, 30 de Maio de 2008

Não estar apaixonada

 “Achei que era bastante simpático”, assim se referiu Gillian ao homem com quem havia casado. “Bastante simpático!” Abanou a cabeça, incapaz de acreditar que alguma vez pudesse ter pensado dessa forma. “Não estava apaixonada, quando me casei com o Sam. Acho que o fiz porque já tinha vinte e nove anos e não sabia se voltaria de ter outra oportunidade. Todos os homens de quem eu mais gostara me tinham abandonado, e por isso pensei que era talvez o melhor que podia fazer.

Actualmente com quarenta e três anos e uma filha de treze, Gillian ficava deprimida ao pensar como os anos tinham passado sem que tivesse havido melhorias na relação. Perguntei-lhe por que motivo se tinha casado com um homem que não amava .”
 
 

A verdade sobre os grandes casamentos – Dr.ª Robin L. Smith

Clauclau às 17:09

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 23 de Maio de 2008

Casamento - sinónimo de pena de prisão

“Casar não é propriamente “cumprir pena de prisão”. O casamento não é uma condenação à dor, à humilhação e ao sofrimento perpétuos, nem tão pouco um trabalho pesado. E eis uma notícia surpreendente: o amor não faz sofrer. Um bom casamento não faz sofrer.

O sofrimento resulta do confronto entre as ilusões que você traz para a relação e a verdade do que significa viver com outro ser humano. Se acredita que no dia do seu casamento irá entrar para um mundo de sonho e que será levada aos céus numa nuvem branca, sofrerá amargamente quando de novo descer à terra. A única maneira de evitar o choque lancinante e a dor residual que persiste durante anos é renunciar à fantasia romântica e ir buscar a felicidade ao mundo real. Confie em mim, não é tão deprimente quanto parece. A realidade pode ser bem mais alegre e apaixonante do que qualquer conto de fadas.”
 
 
A verdade sobre os grandes casamentos – Dr.ª Robin L. Smith
 
 
 

Recados Para Orkut

 


 

Quarta-feira, 21 de Maio de 2008

Já chega!

Dia 1 - 2 - 3 de Junho, dias sem abastecimento na Galp, Repsol e BP.

 

 

Adiram! É importante mostrar a nossa força.

 

 

Eu não aguento mais. Chegou a um ponto que não sei se vale a pena sair de casa todos os dias de manhã para ir trabalhar. Será que ninguém pensa que as pessoas precisam do carro para ir trabalhar. Pois não pensam! Eu conheço muita gente que já desistiu de trabalhar porque o dinheiro que gastavam, para fazer uma média de 80 KM dia correspondia à quase totalidade valor / dia que ganhavam estando a receber o Salário Mínimo Nacional. 

 

Já que o governo não se preocupa com o povo português, com os pequenos, temos de ser nós a fazer alguma coisa.

 

Não se esqueçam, só unidos conseguiremos uma sociedade melhor. Andar de carro está a tornar-se um luxo. Luxo esse, que a continuar assim, muito poucos serão aqueles a poder usufrir dele. Porque uma grande franquia da nossa sociedade tem salários a rondar os 500€ / mês.

 

Se ganhasse 25.000,00€ / mês não me preocupava com o assunto. Mas não ganho.... Para isso preciso de trabalhar quase 5 anos para aumentar os lucros de quem nós sabemos.

 

Parem de encher os cofres ao estado. Pensem duas vezes sempre que utilizarem o carro, Pensem se não têm outra alternativa. Diminuindo drásticamente o consumo é mais uma forma de parar de encher os bolsos do estado à nossa custa.

 

Um só não faz diferença nenhuma, mas unidos conseguimos mover montanhas.

 

Dia 1 - 2 -3 ... porque ninguém aguenta mais esta situação.

Quarta-feira, 7 de Maio de 2008

Contos de fadas

“Se procura um Príncipe Encantado que a desperte do marasmo da sua vida com o poder de um beijo mágico, não se esqueça de que a fantasia termina precisamente aí. Nada sabemos sobre a vida da bela acordada e do seu príncipe, depois de ambos partirem a cabalo. É precisamente o facto de desconhecermos o resto da história que faz com que os contos de fadas estejam tão bem preservados. Tanto quanto sabemos, a Bela Adormecida terá posteriormente confrontado o Príncipe, dizendo-lhe: “Obrigada pelo beijo, mas isto não está mesmo a resultar.” Ou, então, o príncipe terá acabado por lhe confessar: “Amava-te quando estavas adormecida, mas agora que acordaste, já não te suporto.”
 
  

A verdade sobre os grandes casamentos – Dr.ª Robin L. Smith

 

Clauclau às 10:34

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net