Quarta-feira, 4 de Julho de 2007

Descobertas

 “Desde esse momento, naquela praia em finais de Agosto, viveu com ele momentos de grande carinho, amor e felicidade. Seduziram-se como duas crianças, com ingenuidade, doçura e magia. Passaram todos os momentos que puderam juntos e exploraram-se fisicamente de todas as formas físicas possíveis, sem perder a virgindade. A virgindade que para ela continuava a ser algo sagrado e que para ele era o resultado da sua timidez e de nunca ter, até então, encontrado alguém com quem considerasse valer a pena perdê-la. Para além das hormonas, da atracção, da paixão, eram imberbes, puros e lindos. Acreditavam no amor eterno, faziam declarações de amor todos os dias, ofereciam-se flores e cartões, passeavam pela praia de mãos dadas, viam pores-do-sol, falavam ao telefone durante horas e viviam sempre num mundo irreal, um para o outro, um com o outro, contra o mundo.”
A outra metade da laranja – Joana Miranda
Clauclau às 00:44

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net