Domingo, 22 de Julho de 2007

Príncipe encantado

“O desejo de beijar, de estar com, de tocar e ser tocada, persistiu pelo Vasco até ao final do curso e não foram raras as vezes, apesar de o namoro ter “oficialmente” terminado, em que se encontraram e se beijaram com paixão, em que ele lhe acariciou o corpo e em que fizeram tudo o mais que é possível fazerem duas pessoas loucas de desejo, excepto, é claro, amor. Ela negava-se a fazer amor com ele, apesar de obcecada pela ideia, de se consumir de desejo e de se masturbar à noite, na cama, de quando em quando, enquanto pensava nele (...).

Ele falava-lhe dos prazeres do sexo, mas ela, com 22 anos, não se deixava convencer. Tinham-lhe dito desde sempre, lá em casa, a mãe, a tia e a avó, que tinha de ser o homem da sua vida, com um príncipe que chegaria, um dia, num cavalo branco e que a levaria a galope para o seu reino encantado onde seriam felizes para sempre.”

A outra metade da laranja – Joana Miranda

Clauclau às 15:26

| Comentar | Adicionar aos favoritos
4 comentários:
De aspalavrasnuncatedirei a 22 de Julho de 2007 às 21:25
Olá Cláudia!
Ao ler este post, pensei naquilo que penso habitualmente: Porque razão nos encheram os ouvidos com histórias infantis, em que as bruxas eram sempre castigadas, e nós, princesas, seríamos compensadas das amarguras com a vinda de um príncipe encantado, que nos libertaría das tristezas e nos faria felizes?
E nós, ingénuas e sonhadoras, acreditámos que seria exactamente assim.
Se tivesse filhas jamais lhes contaria histórias como estas, ou então, na parte do «viveram felizes para sempre» acrescentaria «mas na realidade raramente é assim».
Beijinhos.
De Clauclau a 24 de Julho de 2007 às 08:21
As histórias infantis, as novelas e os filmes continuam a punir os maus e a beneficiar os bons com um final feliz. Tudo isto cria em nós, desde muito cedo, a expectativa de que sendo meninas bem comportadas teremos o dito "rebuçado" em troca. O pior é que, muitas vezes, o tal "rebuçado" é demasiado amargo.

Beijos
De Pedro de Sousa a 25 de Julho de 2007 às 19:36
Ola Princesas

O vosso problema, de um modo global, é que não acreditam...

Existem principes, sim senhoras.
Não andam montados NUM cavalo, mas é frequente andarem montados em CEM. Não são LOUROS, porque estamos num país de MORENOS...

E são charmosos, não bonitos (bonitos são os bonecos)...

As princesas é que não olharam bem...

Beijinhos principescos (aqui do ogre)
De Clauclau a 25 de Julho de 2007 às 23:13
Tens toda a razão. Há muito tempo que deixei de acreditar...

Beijos

Comentar post

Pesquisar

 

Posts recentes

Escolhas

Investir

Sonhar com o impossível

Amores

Amor

Felicidade

O que construimos

...

Algo melhor

Explosão de hormonas

Aventuras rápidas

Quero-te comigo

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net