Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

Qual o caminho

"... não faço ideia para onde vou. Não vejo a estrada à minha frente. Não posso saber ao certo onde termina. Tão-pouco me conheço verdadeiramente e o facto de pensar que estou a seguir a Tua vontade não significa que esteja realmente a fazê-lo."

 

Sue Monk Kidd - A ilha das Graças

Clauclau às 22:27

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 29 de Outubro de 2008

Privação da imensidão do mundo

"Com o inverno, a sensação tinha-se intensificado. Via uma vizinha a correr pelo passeio diante da casa, a treinar, imaginava eu, para a escalada do Kilimanjaro, ou uma amiga no meu clube de leitura a fazer um relato minucioso do seu bungee jump de uma ponte na Austrália, ou - e este era o pior de todos - um programa televisivo sobre alguma mulher intrépida a viajar sozinha na paisagem azul da Grécia, e sentia-me submergida pelo pequeno rio de centelhas que parecia fluir por baixo de tudo isso, pelo sangue/seiva/vinho, pela energia, o que quer que fosse. Enchera-me de um sentimento de privação da imensidão do mundo, das coisas extraordinárias que as pessoas faziam das suas vidas - embora, no fundo, eu não desejasse fazer nenhuma dessas coisas em particular. Não sabia então o que desejava, mas o anseio era palpável."

 

Sue Monk Kidd - A ilha das Graças

 

 

Clauclau às 10:19

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Domingo, 23 de Março de 2008

Ponto sensível

“Tocara-me no ponto sensível. Eu estivera sozinha demasiado tempo e a perspectiva de continuar assim pelo resto da vida era assustadora.”  
O dia da Tormenta – Rosamunde Pilcher
 
Clauclau às 16:57

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 21 de Março de 2008

Obsessão

"Nenhum truque resultou para conquistar o seu apaixonado. Que mistério esse, o de um ser humano amar outro que não o merece, tudo fazer para ele e não sucumbir perante o desprezo que lhe é cuspido na cara. Eu sei que os psicólogos têm termos para designar tudo isso: obsessão, obsessão patológica. As paixões são obsessões doentias e levam o paciente a tomar atitudes erradas, as únicas que não convêm naquelas precisas circunstância. Mas que forças estranhas levam um ser perfeitamente normal a apaixonar-se estupidamente e a morrer de paixão? Que ligações secretas existem entre as pessoas? Por que razão as forças que as atraem não são recíprocas? Se a física e a química têm algo a dizer, tudo parece muito confuso. Um corpo é atraído por outro, mas este não sente o mesmo grau de atracção."

Ponte levadiça – Isabel Gouveia
Quarta-feira, 19 de Março de 2008

Faz de conta

"Mas como se isto não bastasse, até a linguagem que usamos é um verdadeiro faz-de-conta: já repararam no léxico da velha desculpa para despachar intrusos? «de momento o doutor está em reunião». Já não é a história da reunião que na grande maioria dos casos nunca existe, mas aquelas duas palavrinhas supinamente irritantes «de momento». Qual momento qual carapuça? O doutor não vai atender nunca, porque não está para o aturar, percebe? Ou o «se calhar» era melhor combinarmos jantar noutro dia. Não é se calhar coisíssima nenhuma! Apetece responder: Porque, vai atirar a moeda ao ar e se sair sim, vem jantar, se sair não, fica para outro dia! Tretas! Até nem me apetece nada ir jantar. E sem nos darmos conta continuamos com o faz-de-conta por dá cá aquela palha."

 

Palavra de mulher – Maria João Lopo de Carvalho

Quinta-feira, 13 de Março de 2008

13 de março

Passado dois anos, ainda não esqueci... nem esquecerei nunca...

 

 

 

 

Faz anos que o meu sonho de adolescente de uma vida a dois com o A desmoronou. Por mais que o tempo passe não consigo deixar de ter pena que comigo não tenha dado certo. Porquê comigo? Será que não merecia ser feliz? Não seria eu suficiente mulher?...

 

Tantas perguntas para as quais ao fim destes dois anos continuo sem resposta. Lá no fundo, gostaria que um dia ele me desse resposta a todas estas perguntas, mesmo sabendo que nunca há resposta para elas. As relações chegam ao fim por tantos motivos e por nenhum em concreto, mas gostaria de ter uma resposta para o facto de não ter ficado ao lado daquele que toda a vida amei, sem ele nunca ter merecido esse amor.

 

Sei que nunca terei essas respostas. 

Quero que ele fique a centenas de quilómetros de distância.

Quero que ele não venha perturbar o meu sossego.

Quero andar tranquila na rua, sem ter receio de me cruzar com ele, como aconteceu na semana passada. Apesar de ter passado por ele sem sequer olhar ao lado, como se estivesse de bem com a vida, como se a presença dele me fosse completamente indiferente, como se nunca o tivesse visto na vida, por dentro um turbilhão de ódio e de raiva flutuava.

Eu sei que não foi indiferente. As lágrimas que continuam a deslizar pelo meu rosto são a prova disso. Bem lá no fundo continua o sonho de criança, o desejo de que viesse ter comigo, de que me pedisse desculpas por todas as palavras amargas e histórias inventadas, que me envolvesse nos braços e me prometesse que no futuro tudo ia ser como no meu sonho de criança.

 

Será que um dia eu vou encontrar outro amor assim... ou pelo menos... será que um dia as lágrimas desse amor "falhado" vão mesmo desaparecer de vez...

 

 

tags: ,
Terça-feira, 11 de Março de 2008

Amigos... colegas...

“Tenho muito poucos amigos, hoje a maioria faz amizades por conveniência, por interesse, o conteúdo das mesmas é um vazio adornado de materialismos e futilidades.”
Faz-me feliz – Sérgio Cunha
 
 

“Vejo-os como colegas, não como amigos. Isso diz tudo. É uma camaradagem de armas, egoísta, de quem resiste como pode em pequenas lutas individuais em tudo semelhantes umas às outras, mas que jamais convergem numa luta comum. São uns filhos da mãe, de qualquer forma. Não hesitariam em esmagar-me sem piedade se disso dependesse a sua ascensão na carreira.”
O elogio do fracasso – João Teixeira Freire
Domingo, 9 de Março de 2008

Ignoro-as!

"... mas o pior são as outras, que vivem para nos humilhar: «tu não usas esfoliante? Nem desmaquilhante? Nem antiolheiras? E devias tomar banho gelado, sabes? Faz bem à celulite. E passar algas pelo corpo, que te reafirma a pele. E usar creme, para o cabelo não parecer um bacalhau.» Sinto-me um trapo, um enxovalho... não faço nada do que dizem. Pior, não faço a menor tenção de me corrigir."
Palavra de mulher – Maria João Lopo de Carvalho
Clauclau às 16:35

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 4 de Março de 2008

A espera...

"Sei que essa espera tem um fim, depois de crescer, de perceber, de amar por dentro sem pedir que aplaudas, mas sim que assistas que me venhas buscar e que dites o fim da minha espera. Por hora, basta-me que adormeças nos meus braços, que me apertes junto ao teu peito e me acompanhes nos nossos sonhos... Só assim tenho a certeza de que esperar por ti vale tudo, vale mais ainda porque se não for nesta vida será na outra, mas sei que um dia vamos poder inventar um tempo nosso."
 
Palavra de mulher – Maria João Lopo de Carvalho
 
 
 
 
 

Um ano de existência...


Recados e Imagens - Feliz Aniversário - Orkut

de um blog que nasceu da tristeza de um amor que poderia ter dado certo... mas não deu...

tags: ,

Pesquisar

 

Posts recentes

Qual o caminho

Privação da imensidão do ...

Ponto sensível

Obsessão

Faz de conta

13 de março

Amigos... colegas...

Ignoro-as!

A espera...

Um ano de existência...

O tempo não cura

Língua e literatura franc...

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Readspeaker

Imagens

Retiradas da net