Quinta-feira, 3 de Maio de 2007

Amo-te muito

Hoje a minha mãe comemorou mais uma primavera. Apesar de todos os atritos que temos no dia a dia, a verdade é que a amo mais do que tudo nesta vida.

Durante toda a minha vida, tenho-me apoiado em três pilares que para mim são fundamentais: a minha mãe, o meu pai e o meu manito . Sei que estão sempre lá para me apoiar e que posso contar sempre com eles. E eles sabem que podem contar sempre comigo.

E não, não vivemos num conto de fadas; temos discussões e divergências de opiniões como toda a gente, mas a verdade é que damos uma grande importância à família.

A minha mãe é uma grande mulher. Toda a vida trabalhou imenso na agricultura para que tivéssemos sempre um pouco de tudo em casa sem ter de ir comprar as coisas ao mercado. A verdade é que muitas vezes lhe digo para que deixe de semear certas coisas porque o preço delas não compensa todo o trabalho que tem. O pior é que não me consigo fazer compreender. Ela entende, como se eu a estivesse a recriminar por andar a estragar dinheiro nas terras quando o que eu pretendia era apenas que ela preservasse mais a sua saúde e o seu corpo e que trabalhasse menos. Mas não a consigo convencer. Admiro-a imenso. Acho que ela pensa que eu não lhe dou valor por não ter estudos, por nunca ter tido um trabalho remunerado. Mas muito pelo contrário, admiro-a ainda mais por tudo o que faz; trabalhou mais na vida que todas as outras mulheres que têm um trabalho fixo, pois trabalha no campo de sol a sol, todos os dias, sem feriados, sem dias de descanço, sem limites de horário, sem férias; admiro-a por tudo o que sabe sobre culturas (assunto de que não percebo mesmo nada, com muita pena minha). Apesar de todo o trabalho que tem, e de não ver lucros monetários do seu trabalho, todo esse esforço é compensado por ver crescer, dia após dia, as culturas que semeou, por colher as frutas e os legumes de que cuidou ao longo de várias semanas, por ver nascer os animais e os alimentar durante meses e anos.

Adoro-te mãe. Mais do que alguma vez te disse. Mais do que tu possas imaginar. Quando ficas triste, também fico triste, quando choras também choro, quando sofres também sofro, quando estás doente também fico doente.

Os nossos maiores atritos são sempre por me cobrar o genro que não lhe dei e os netos que não tem. Mas o futuro só a Deus pertence. Quem sabe um dia não terá um genro muito melhor que o AFL . Sei o quanto ela gostava dele e o quanto gostava que lhe tivéssemos dado os netos que tanto deseja. Mas a vida nem sempre segue as linhas que traçamos.

Mãe espero que possamos ficar os quatro juntos ainda por muitos e muitos anos.

Amo-te muito.

 

 

 

“se pelo menos ela soubesse como a amo! Com todas as suas fragilidades, defeitos e medos. Se ao menos soubesse como a admiro – a sua força, poder, esforço, empenho, determinação, motivação. Como sabe ultrapassar os seus próprios limites, superar-se, ir além do possível, e como sabe fazer bem aos outros, como se dá aos outros com generosidade, como sabe ser magnânima e soberana, terna e doce, quando quer....”
  
Contigo esta noite – Joana Miranda
Domingo, 29 de Abril de 2007

Destruir relações

“Em poucos segundos é possível destruir uma relação de séculos, mas pode demorar-se anos a reconstrui-la.” 
 Contigo esta noite – Joana Miranda

 

 

 

 

  

 

Detesto intrigas, teimas e coscuvilhices, mas pelo menos por estas paragens isso é o prato do dia. Estas quando chegam a certos ouvidos geram filmes de que nem o  Spielberg se lembraria. Não há remédio para isto. Até podem ir todos os domingos à missa, mas mal saem à porta para fora, é um toca a lavar roupa suja, que se prolonga até às filas dos supermercados, pelas tascas e cafés e nunca mais tem fim. Quem não se lembra de na escola jogar ao jogo do telefone. Pois é. Acho que já nessa altura nos tentavam chamar, indirectamente, a atenção para as más línguas, porque elas estão por todos os lados, prontas a deturpar tudo o que viram ou ouviram.

Sei bem do que estou a falar ou não tivesse o fim da minha relação sido uma consequência das conversas inofensivas das pessoas que me rodeiam. Às vezes, tenho dias que chego a odiar tudo o que é ser humano que vejo à minha volta. Será que os comentários que fazem são por mero divertimento do próprio ou têm mesmo intenção séria de prejudicar ou destruir as relações amorosas. Pois é, porque os pilares demoram tempo a ser colocados de pé, mas  devido a erros de calculo ou até com um simples abanão, os mesmos podem cair por terra em segundos. Foi o que aconteceu na minha relação. Lutei tanto para a conseguir pôr de pé, estava disposta a enfrentar toda a família que não gostava muito dele e que achava que eu merecia melhor, para poder ficar com ele. Mas, bastou um simples abanão para o pilar abanar e cair.

 

 

Clauclau

 

Clauclau às 12:11

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 23 de Abril de 2007

Feliz aniversário

Duas pessoas que me são muito queridas comemoram hoje mais uma primavera e por isso aqui fica um beijinho muito especial para ambas.

 para ti Mylene , pelos teus vinte anos, um grande beijinho da madrinha que tem imensa pena de não poder estar aí em  Champigny , no próximo sábado, para comemorar o teu aniversário.

 para ti Cristina, pelos teus vinte sete anos, um grande beijinho desta tua amiga, que mesmo a centenas de quilómetros de distância não se esquece de ti.

Que sejam ambas muito felizes e que a vida vos traga tudo aquilo que mais desejarem.

 

 

Clauclau às 12:57

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 11 de Abril de 2007

Amigas curiosas

“É verdade, tenho tendência para ser curiosa, admito, mas não conheço mulher que não partilhe dessa minha tendência. Atrevo-me mesmo a afirmar que a discrição, numa mulher, é uma disfunção que deve ser tratada clinicamente.”
 
“Não, não sou desconfiada. Sou apenas curiosa e estou sempre ansiosa por viver novas experiências. Meter o nariz em tudo é divertido porque se pode descobrir qualquer coisa que talvez não venha a ser lá muito divertida.”
 
Coração à deriva – Ildikó Von Kürthy
 

Até me esqueço que tenho um blog, onde por vezes escrevo, sem pensar que isto também é lido por amigas curiosas... e pelos vistos não são só as mulheres portuguesas que são curiosas, as de Lagny também são. Sim Mlle Claro. Estou a falar de ti... Há é verdade... és portuguesa... lol... Um beijinho grande desta tua amiga.

Até me tinha esquecido que tinha dado conhecimento da existência deste blog a duas amigas, e hoje quando recebi uns SMS a perguntar quando seria o segundo café, fiquei surpresa, mas depois desatei a rir quando percebi que era resultado de um dos últimos post. Pois é, mesmo sem eu dar por isso, parece que isto serve para as manter actualizadas sobre os acontecimentos da minha vida. Eu sei que gostavam de novidades fresquinhas, mas por enquanto têm de se contentar com o facto de aos poucos começar a esquecer o AFL. E é verdade, cada vez os destroços vão sendo menores, cada vez penso menos nele, e o meu ódio e rancor também estão a desaparecer. Acho que começa a caminhar para a indiferença... pelo menos esse seria o meu desejo... de quando o voltar a ver, que pudesse passar por ele e que a sua presença me fosse completamente indiferente.

E há desejos que se realizam...

 

 

 

 

Clauclau às 21:54

| Comentar | Adicionar aos favoritos
Terça-feira, 10 de Abril de 2007

Um anjo que me fez sorrir

Afinal ontem o rapaz até conseguiu finalmente beber o tão desejado café. Para mim a noite teve um significado muito especial, mas temo que para ele tenha sido uma desilusão. Apesar de ter havido alguns carinhos e provocações, a verdade é que não passou disso. Gostei do colo e dos carinhos, mas sempre que tentava beijar-me havia sempre um reflexo da cabeça ou de um braço que evitavam que isso acontecesse. Tentei que entendesse que não estou pronta para grandes intimidades. Ele percebeu que continuo obcecadamente ligada a uma relação que já não existe. Até me ri, quando me disse que o que preciso é de voltar a estar com um homem. E que se não fosse com ele, que fosse com outro, mas que deveria perder o medo de voltar a viver. Acho que tens razão... mas fazer o quê? 

 

 

 

  

“Tenho mais uma vez a certeza de que a amizade é uma das mais belas e sublimes formas de amor.
 
Nazarenas e matrioscas – Margarida Rebelo Pinto
 
 

 

 

 

 

 

Sexta-feira, 9 de Março de 2007

Afogar as mágoas

“- Sharon, o que aconteceu ontem à noite?
- Aconteceu álcool. Montes e montes de álcool.
- Porque é que estás a telefonar-me a estas horas da manhã?
- É de tarde, Holly.
- Acho que vou voltar a dormir. Talvez quando acordar o chão já tenha parado de se mexer.”
 
P.S. – Eu amo-te – Cecelia Ahern
 
 
Continuo a defender que o dia da mulher é todos os dias, mas se esta data serve para sair com umas amigas, o melhor é aproveitar... ainda por cima, agora que quero cortar de vez com o passado, amoroso entenda-se, o melhor mesmo, é aproveitar todas as oportunidades para se ver umas caras novas. Fazer novas amizades é sempre algo que nos levanta a moral... Nada como uma boa conversa enquanto se saboreia um bom licor... a ti, amiguita, muito obrigada pela companhia nas minhas noites de solidão. É graças a ti que tenho saído mais ultimamente. Se não fosses tu, acabava por passar o tempo todo enfiado em casa a pensar no que não devia.
Para ti, Celine, um grande beijinho    
 
 
 

Clauclau às 00:54

| Comentar | Adicionar aos favoritos

Pesquisar

 

Posts recentes

Amo-te muito

Destruir relações

Feliz aniversário

Amigas curiosas

Um anjo que me fez sorrir

Afogar as mágoas

Arquivo

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Outubro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

tags

afl(30)

amor(260)

ana santa clara(9)

casamento(10)

catherine dunne(11)

citações(324)

dr.ª robin l. smith(8)

ildikó von kürthy(13)

joana miranda(60)

jorge bucay e silvia salinas(11)

livros(308)

margarida rebelo pinto(32)

maria joão lopo de carvalho(10)

miguel sousa tavares(24)

paulo coelho(28)

robin sisman(9)

sofrimento(21)

stefania bertola(12)

suzanne schlosberg(10)

vida(183)

todas as tags

Imagens

Retiradas da net